domingo, 24 de maio de 2009

Porto Seguro


Deambulo taciturno na noite sem rumo à procura de ti. Saltimbanco da vida sem destino fixo.
Recordo-me vagamente do conforto de um lar.
Desespero no percurso da vida por não descansar.
Quero repousar e sentir o conforto do teu colo.

Anseio por ti, pelo teu abrigo.
És a pedra basilar em que pretendo construir o edifício do resto dos meus dias.
Ser feliz já não tem o mesmo significado sem ti.
Construi o meu palácio em ti e no nosso amor.
Com o teu amor saberei construir o nosso Taj Mahal.
Princesa do meu sentimento.
Sinto a esperança a percorrer as minhas veias. Rejubilo ao som da tua voz, vibro ao toque dos teus dedos.
O meu navio já tem porto de destino.
Quero prender as amarras ao teu coração, ser teu para todo o sempre.
Sentir o teu olhar sereno debaixo do luar.

Atingir a beleza plena do teu rosto que a lua cheia confere.

Recorro a ti para encontrar o norte.
Finalmente posso contar ao vento o que este seu filho sente.
Rogo aos Deuses que me tirem este estigma de vagabundo.
Não quero mais deambular só.

Desejo a força do nosso castelo, criar raízes dentro de ti, e para sempre ser teu.
Todos os dias cantarei uma serenata digna do nosso amor.
Porque com o porto seguro do teu amor transformaste este errante à deriva num ser feliz que clama pelo teu amor.

Sem comentários:

Enviar um comentário