quinta-feira, 30 de julho de 2009

Contemplação

Momento único parado a olhar no vazio.
Recordo o momento colado a ti na partida daquela gare.
Peito com peito, suspiro com suspiro.
Lábios ambos dormentes de desejo.
Corações palpitantes em
simultâneo.
Agora à beira mar sentado com o beijo
confortável do mar, recordo o sabor dos teus lábios.
Agarro-me ao odor
implícito do teu corpo tão vibrante naquele momento.
Recordo-me da jura que te fiz quanto senti a seda do teu cabelo no meu rosto.
Contemplo em cores o azul do mar e como fundo o vislumbre de felicidade eterna que me transmites.
Recordo o bater do teu coração junto ao meu peito.
Agora com a vastidão do oceano como lar anseio por te ter novamente ao meu lado.
Na espuma que se entrelaça nas minhas pernas exprimo desejos.
Teço preces ao meu regente Poseidon para que me favoreça junto aos Deuses.
Rogo pela felicidade.
Estertor inebriante, o sentir das ondas na pele e recordar a semelhança suave do teu toque.
O som do mar ecoa na mente como o som do teu respirar junto a mim, abraço-o com toda a alma.
O odor do teu corpo semelhante à maresia, enlouquece os meus sentidos .
Sinto o sal do teu beijo quando finalmente o meu rosto é submerso, mergulho em ti
Contemplo o céu e nele relembro a cor de fogo dos teus cabelos.
És o por do Sol que tanto aguardei.
O meu mundo é de sensações palpitantes impressas por um coração que acompanhava o ritmo louco do meu.
Paixão que tinha reprimido no
âmago do meu ser e que agora solto a toda a brida para voar para junto de ti.
Num beijo naquela gare selei o meu desejo.
Num momento
síncrono de corações gravei o teu nome no peito.
Com as ondas como testemunhas, em contemplação de mim mesmo reconheço por quem sou.

Sem comentários:

Enviar um comentário