domingo, 27 de setembro de 2009

Ressurrection

A tua voz perdura dentro de mim
Desperta sentidos outrora dormentes, reconheço o sentimento perdido.
Sangue que ferve, aquece todo o meu corpo arranca a dormência.
Volto a sorver o ar, fui arrancado às garras da morte.
Bebo dos teus lábios o néctar da vida.
Hidromel que me faz novamente desejar, sentir as quimeras do sonho.
Convoco as Valquírias para que dancem e presenciem a minha ressurreição.
Revivo.
O velho guerreiro respira, anseia novas batalhas, novas conquistas.
Embebido no sonho de ti aniquilarei todas as hordas de descrentes e infiéis ao amor, por nós.
Outrora um ser desprovido de vida no vale dos mortos, agora ressuscitado pelo toque da tua alma.
Revitalizado por um beijo, pela promessa da nação sou pleno novamente.
Inebriado pelo teu toque, pela tua beleza sou novamente um campeão de liças.
Ressuscitado pelo amor é por ele que viverei para todo o sempre.
Serei por ele, por ti, por nós.
Quero conquistar a tua alma de Anjo.
Arranco de mim troféus antigos, verifico as cicatrizes de batalhas anteriores mas volto ao combate ignorando-as.
Visto de novo a armadura, sei que vivo para o combate, para te conquistar.
Volto a lutar por Ódin, por mim, em nome do Amor.
Sou como o Sol e continuo com a minha carruagem puxada por lobos a tentar alcançar-te, minha lua viciante.

1 comentário: