terça-feira, 21 de junho de 2011

Meu Grande Amor

Sei que toquei o céu, sou aquele ser imperfeito que procura ascender ao sublime.
Abro os olhos e contemplo o Dourado da perfeição.
Abraço todos os dias a bondade e espero ser contagiado por ela.
Contemplo a beleza e estendo as mãos para a agarrar.
Deambulo na imensidão da pureza transmitida pelos teus olhos.
Quis um dia tomar-te como minha, esqueci-me que a beleza não se toma, não se prende por entre os dedos de uma mão.
Apenas se oferece como o fizeste ao tocar-me na alma.
O coração esse é o músculo solitário que bate apenas num peito mas que se o fizer em simultâneo com outro alojado noutro peito tem o poder de fundir duas almas numa só.
No teu auto-sacrifício observo o altruísmo que um dia sonhei que seria capaz.
Gostava de ser perfeito e não ter fraquezas, ser aquele que em todo o momento reconhece quem tem ao lado.
Se ao menos fosse  como mereces. Agarrava o céu para to oferecer.
Sou um mero homem que um dia foi abençoado pelo toque de uma Deusa.
Se ao menos fosse dotado para te transmitir o amor que mereces, dotado para convocar os elementos e trazer-tos aos teus pés.
As palavras essas são fáceis de conjugar. Rogo aos Deuses para conseguir uma ode em actos que te façam reconhecer o meu amor.
Porque um gesto teu, um sorriso teu é capaz de me transformar.
Cada movimento teu amansa a fera que me domina.
O teu nome é poder, os teus movimentos encantam as serpentes dos meus domínios e tornam-nas inofensivas.
Esmagado pela tua beleza, pela tua essência sou e serei para sempre o eterno enamorado e peço a todos aqueles que outrora tombaram por amor, que se unam a mim, me impregnem da força para ser um campeão e fazer saber ao mundo que amar vale a pena.
Enfeitiçado por ti, sou o ser que vive debaixo do sol da felicidade.
Abençoado no dia em que te fizeste minha mulher.

Sem comentários:

Enviar um comentário