quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Mundo Cruel

Quando a paixão é perdida e toda a confiança desapareceu à tanto tempo.
Só num mundo cruel e frio.
As crianças choram abandonadas e negligenciadas.
Por bem próprio animais deixados sem dono.
Só num mundo cruel e frio.
Abraça  o teu melhor amigo, olha-o nos olhos e depois observa-o a resignadamente ir embora.
Durante tanto, mas tanto tempo fizemos tudo errado.
Febre e tormenta dentro da tempestade, afasto-me.Vou-me embora
Fujo dos nomes, das lápides. da Selva de Pedra.
Cansei-me de sarar as feridas minhas e do mundo.
Que o mundo mantenha os espinhos, que mantenha as agruras. Eu fujo a toda a brida.
Fujo dos jogos, das decepções e das mentiras.
Das circunstancias de um mundo tão cruel e frio.
As chamas da consciencia e da alma recordam-me o dia no qual fui lançado neste tipo de mundo.
Nas engrenagens desta máquina destruidora transformei-me e fui culpado da mesma crueldade e frieza.
NÃO MAIS!!!
 A Febre permanece na tempestade. Viro as costas, cavalgo para longe no pégaso da minha imaginação.
E voo, Voo para tão longe.Porque é que sinto todos os outros como inimigos?
Não quero mais nada com as Trevas. Já tive demais.
Renego os demónios. Invoco os Deuses.
Viajo para a luz
Quero o Sol, Clamo pelo Sol.
Desisto deste tipo de sociedade, não vivo os jogos, Não sou Peão.
Não me reduzo à condição de Escravo.
Do material, da solidão confortável, só porque é social.
Renego a mágoa, a mentira, o ultrapassar a moral.
Trago para mim o acreditar solene. 
Quero a Luz, A simplicidade, o minimo.
Não vou nunca deixar deixar de ser eu, afirmar que o que sou é-o por desejo e não ter medo de afirmar este sou EU.
O verdadeiro sem imagens distorcidas por espelhos sociais, 
Sem medo, sem dor.
Preciso de encontrar um canto mais escuro onde tudo seja mais calmo e seguro.
Continuo a voar, a virar as costas.
Não sou mais o autómato que vagueou por este mundo tão cruel.
No fogo da minha alma, renego as criaturas negras que me prendem o coração.
Solto as grilhetas e deixo de ser o Sub-produto deste Mundo Frio e Cruel.


Sem comentários:

Enviar um comentário